Cartas Que Não Mandei

“Me enchia de dúvidas. Mas ao mesmo tempo fazia com que eu tivesse certeza de que tudo que eu queria era ele.”


Latejado. (via latejado)

Posted on June/7/2013
With 2,588 notes / © latejado /via efeito-barbie


“Não é ciúmes, é medo de você gostar de outro perfume, outro sorriso, de outro abraço, outra companhia…”


Rotular.   (via menina-hipocrita)

Posted on November/12/2012
With 72,771 notes / © rotular /via efeito-barbie



Posted on November/12/2012
With 3,723 notes / © felicidadeadois /via adaptei-me


“Não é sono, não é falta de tempo, não é dor física, muito menos depressão. Só vontade de me desligar do mundo por alguns segundos.”


Caio Fernando Abreu.

Posted on November/2/2012
With 22,070 notes / © fez-semar /via endlesslovegod



Odeio mto =[

Posted on November/2/2012
With 4,848 notes / © ANTIGO-BRASILEIRO.TUMBLR.COM /via onem0re-night


  • Amigo: — Cara, você se arrependeu de ter terminado com ela?
  • Ele: — Olha pra mim, você acha que eu me arrependi? Eu saia sexta e só voltava segunda de manhã pra trabalhar. Eu peguei a mãe, a filha, a prima, a tia e só não peguei a vó da vizinha, porque ela tinha hemorroida. Eu tinha cortesia pra entrar nas melhores baladas. Eu esnobei as garotas que todos os homens queriam pegar. Transei de segunda à sábado, e domingo eu via futebol. Detalhe, sem ninguém me chamando pra ir ver a porra do casal feliz no Faustão ou sei lá o que. Me mandavam mensagens o dia todo e se você perguntar se eu li alguma eu vou te dizer que não. Eu podia ver filme pornô, levar a guria que eu quisesse pra minha cama e depois chamar o taxi pra ela ir embora pra eu não precisar gastar gasolina, porque convenhamos, tá cara pra caralho. Eu era o que elas queriam de qualquer jeito. E eu, queria todas de qualquer jeito, mas só um pouquinho cada uma. Chamava todas de bê, pra não errar o nome de nenhuma. E por que diabos elas achavam que isso era fofo? Eu ia pra academia as três das tarde e voltava as oito da noite. Tenho uma coleção de calcinha perdida na última gaveta da minha estante. Eu saia na rua com o som alto no carro e podia escolher a dedo, quero essa, depois essa e mais tarde, essa. Na minha geladeira nunca tinha uma caixa de cerveja, eram no minimo quatro. Eu não devia nada pra ninguém. A única guria que me cobrava alguma coisa, era minha mãe. Me cobrava minha cueca lavada e só. Não tinha que ir no cinema ver as comédias românticas e falar “own amor, eu faria o mesmo por você”. Não tinha que deixar de ir pra balada pra fazer um lanchinho em família. Não precisava me preocupar em horário e olhava pra quem eu queria na rua. Minha casa tinha festa toda quarta. Camisinha aqui tinha do Bob Esponja até das Três espiãs demais. E eu ainda dava de brinde um moranguinho pra cada garota. Meu trampo era sentado na frente do computador. Peguei tua irmã cara. A amiga dela. A Carolzinha filha do Prefeito da cidade. A Jú filha do gerente do banco. Loira, morena, ruiva, que gostava de pagode até a que gostava de gospel. Eu tinha o mundo na minha mão. E você me pergunta se eu me arrependi? Me arrependi caralho. Porque toda essa porra de vida perfeita nesses 4 meses que fiquei sem ela não teve valor nenhum depois que eu vi ela sorrindo de um jeito que nunca sorriu pra mim, pra um outro cara aí. Pra um vagabundo desgraçado que vai fazer ela feliz, porque eu, eu não fiz ela feliz e ainda mandei a melhor coisa que eu tinha na vida me esquecer. E sabe o que é pior? Ela me obedeceu.
Posted on November/1/2012
With 115,943 notes /via efeito-barbie





O tempo todo!

O tempo todo!

Posted on October/31/2012
With 23,728 notes /via adaptei-me


“Brigue comigo, sinta raiva, me jogue coisas. Preciso saber que você ainda se importa.”


Gabito Nunes.   (via a-b-r-e-v-i-a-r)

Posted on October/31/2012
With 27,158 notes / © cool--cool /via efeito-barbie




Tudo de novo. Você está perto, mas ao mesmo longe, daí então me dá uma vontade enorme de  gritar, de chorar, de correr atrás de você, de pedir loucamente que preste atenção em mim. Que me dê um pouco do seu tempo, que me tire sorrisos, que me dê beijos intermináveis ou apenas um longo abraço.

Só queria poder sentir que sou amada por você de um jeito que você nunca amou ninguém, mas é que às vezes você me deixa meio de canto, jogada. Isso dói.

Odeio essas suas mudanças de humor, esse seu jeito de não se importar com que eu falo, seu jeito de me ignorar quando estou numa tentativa frustrante de chamar sua atenção.

É melhor você me querer de uma vez vez ou então acabar com isso, porque com certeza se você me deixar ir, eu não voltarei, mas te garanto que se você me deixar ficar, te farei feliz!

RLima.


Posted on October/31/2012